BOAS PRÁTICAS PARA TRADUÇÃO

BOAS PRÁTICAS PARA TRADUÇÃO

Dicas para garantir uma tradução de qualidade

.

O paradoxo da tradução é justamente que ela não pareça uma tradução, ou seja, deve ser fiel ao texto original, bem redigida, não conter erros e soar natural tal como no idioma nativo. Essa proeza só possível com o domínio e proficiência sobre a estrutura e o ritmo da língua de chegada (para a qual se traduz), evitando ficar “preso” à estrutura do texto original e evitar uma tradução sem naturalidade e fluidez.

.

Abaixo, 10 dicas para uma boa tradução:

.

1 – Defina os objetivos: em primeiro lugar, entenda qual é a necessidade e o objetivo quanto à utilização do documento, bem como a cultura local e a forma que ele será apresentado ao leitor;

.

2 – Conheça seu público-alvo: todo documento deve ser elaborado considerando o leitor/usuário e sua necessidade específica. A linguagem, profundidade e a abordagem do texto devem ser adequadas ao perfil desejado;

.

3 – Glossário terminológico: utilizar um glossário para os termos técnicos é muito importante e ajuda na agilidade do trabalho, além de servir como referência para quem estiver traduzindo o material;

.

4 – Planejamento: não deixe para a última hora. Quanto mais tempo dedicado ao planejamento e à estruturação do projeto, será melhor para evitar trabalho fora de horários habituais e aumentará a chance de obter a equipe mais qualificada possível. Organize suas demandas de traduções, incluindo o item planejamento de produção e tradução, definindo, quando possível, orçamentos e planejando os processos;

.

5 – O processo da tradução: a tradução de um documento pode até parecer um processo de uma só etapa, entretanto, existe uma série de etapas muito bem planejadas, ferramentas que ajudam no processo de revisão, controle de qualidade e até mesmo no prazo de entrega, garantindo a melhor qualidade possível em todos os documentos/produtos finais;

.

6 – Suporte da língua nativa: utilize o suporte de um tradutor nativo para realizar o tratamento do idioma, assim haverá mais exatidão nas traduções e consistência dos termos e conteúdos, que vão ao encontro dos requisitos locais do cliente no que diz respeito à qualidade e adequação cultural;

.

8 – Design dos materiais: no caso de materiais que necessitam de diagramação, esteja preparado para reservar o espaço necessário para exibir o novo texto. Talvez até uma nova diagramação seja necessária. Muitas empresas de tradução já possuem a área de diagramação de materiais, seguindo exatamente os padrões do documento original;

.

9 – Tenha foco na tradução: a tradução pode até ser feita dentro de sua própria empresa. Porém, deve-se examinar com cuidado a forma de trabalho para não prejudicar o processo da tradução e também manter o foco na sua atividade principal. Uma empresa de tradução tem processos desenhados e tradutores para múltiplos idiomas nativos, o que pode proporcionar muito mais foco, agilidade e assertividade na forma de se comunicar;

.

10 – Relação custo x benefício: um processo de tradução é uma das principais razões da existência de uma empresa de traduções. Porém, pode ser complexo para uma empresa absorver esse trabalho, com processos otimizados e gerenciando uma cadeia de produção no seu dia-a-dia, principalmente se as atividades de tradução e localização não fizerem parte das atividades e formação acadêmica da equipe interna. A relação custo/benefício na maioria das vezes não é vantajosa para a empresa que opta por fazer traduções internamente. O investimento em um bom parceiro de serviços linguísticos agrega valor e acelera a comunicação multilíngue com seus públicos-alvo.

.

Conte com a ZAUM Language Services, uma empresa de traduções que zela pela reputação e excelência na gestão de projetos de tradução. Entre em contato e conheça as soluções ideais para sua empresa: 19 3579.1000 ou info@zaum.com.br.