Exportar para o Brasil: o que é preciso saber para entrar no mercado

Considerada a maior economia da América Latina, o Brasil atrai cada vez mais negócios estrangeiros, mas exportar para o Brasil não é uma tarefa tão simples. A alta carga tributária aliada a sistemas complexos podem criar certas barreiras, dificultando e encarecendo a realização de grandes negócios.

No entanto, tudo se baseia em conhecimento. Quando você estuda as leis e o mercado, passa a compreendê-lo melhor e enxergar oportunidades incríveis.

Quer exportar para o Brasil? Descubra agora o que é preciso saber para entrar no mercado:

1. Negócios potencialmente mais promissores

O primeiro passo é descobrir quais produtos e serviços são mais importados pelo país. Atualmente, produtos químicos, máquinas e equipamentos industriais, petróleo, automóveis e materiais elétricos e de comunicação encabeçam a lista dos principais.

Contudo, o mercado é bem diversificado, fazendo com que produtos médico-hospitalares, alimentícios, bebidas, eletroeletrônicos e de informática também gerem grandes oportunidades.

2. Poder de consumo do brasileiro

O poder de compra do brasileiro não é dos melhores, mas também não de desprezar. As taxas de inflação comparadas com os reajustes salariais vêm tirando esse poder de compra aos poucos.

Em contrapartida, à medida que as tecnologias avançam, produtos e serviços oferecem soluções mais populares e acessíveis, equilibrando a balança.

3. Carga tributária

O Brasil é um dos países com a maior carga tributária no mundo, principalmente nas importações de alguns produtos específicos.

Algumas taxas e impostos são utilizados unicamente para reduzir ou impedir a entrada de certos produtos estrangeiros. A finalidade do governo é valorizar o produto nacional e movimentar o mercado interno com isso.

No entanto, se você deseja exportar para o Brasil um produto não fabricado no país e escasso no mercado interno, terá grandes benefícios.

4. Burocracia

E não é só a carga tributária que é alta. Devido aos altos índices de corrupção, o Brasil possui excessivas normas, regras e procedimentos que figuram nas etapas necessárias para regularizar uma exportação.

Além de documentos complexos e autorizações exigidas por vários órgãos governamentais, o tempo é outro fator que deve ser levado em conta na hora de planejar a exportação.

Com tantos processos a serem concluídos, o exportador pode ter que arcar com maiores custos de transporte, armazenamento e movimentação de mercadorias em portos secos.

5. Cultura

O público brasileiro não possui perfil de poupador. Pelo contrário, gosta de consumir e é facilmente atraído pela publicidade.

Como o país possui diversas datas comemorativas presenteáveis ao longo do ano e a população se deixa levar pela emoção, a economia fica sempre aquecida, atraindo o interesse de muitos investidores estrangeiros.

Outra cultura no país é a exigência de produtos com embalagens contendo rótulos bem informativos. Isso inclui especificações de qualidade, quantidade (volume), composição, garantias, origem, data de validade, formas de armazenamento, riscos e dicas de segurança. Tudo isso escrito no idioma local e de forma bem clara e legível.

6. Tradução de conteúdos

Para ficar em conformidade com a lei, o exportador precisará entregar seus produtos com rótulos, descrições e documentos no idioma local.

Como o português é um idioma que poucos no mundo falam fluentemente, o ideal é procurar uma empresa de tradução no Brasil para ajudar, pois já estará inserida no mercado interno e dará dicas essenciais para a boa aceitação do produto pelo público consumidor.

A empresa também deve ajudar na adaptação de conteúdos para atender o mercado mais adequadamente e evitar que o exportador tenha problemas com a Justiça brasileira.

O Brasil pertence ao grupo dos Brics, de que participam também Rússia, Índia, China e África do Sul. Isso quer dizer que o país é considerado um mercado emergente e de grande potencial de crescimento. Mercados assim são os que geram as melhores e maiores oportunidades de negócios.

Resumindo, exportar para o Brasil exige a superação de grandes desafios, mas vale a pena no final.

Gostou das dicas? Descubra também a importância do conhecimento cultural de outros países para as traduções!