Quais os desafios da tradução técnica do inglês para o português?

Uma boa tradução técnica demanda muito mais do que conhecimentos gramaticais do idioma de origem. Dominar os termos, as expressões e a linguagem da área de conhecimento abordada é um passo importantíssimo para produzir um texto de qualidade, sem erros nem ambiguidades. Mas isso significa que somente profissionais graduados podem traduzir em seus respectivos campos de atuação?

Não necessariamente. Ao tradutor, cabe a tarefa de aliar dois universos: o conteúdo a ser transposto para o outro idioma, e as ferramentas e procedimentos de uma boa tradução.

Neste artigo, explicaremos alguns segredos e desafios para um trabalho de qualidade.

A importância da tradução técnica

Materiais como manual de usuário, contratos e relatórios não admitem ambiguidades. Erros, então, nem se fala: não podem aparecer em nenhuma hipótese.

Esse tipo de tradução normalmente tem impacto direto na vida das pessoas. Por isso, esforços e atenção devem ser redobrados.

Imagine as consequências de um cardápio mal traduzido em um restaurante, que faz um cliente solicitar um prato cujos ingredientes não pode consumir? Ou de um manual para utilizar um aparelho doméstico, que não esclarece corretamente como verificar a voltagem, por exemplo?

Um problema de tradução pode trazer implicações desastrosas para uma companhia. Um caso assim aconteceu em 1996, com a fabricante de uma máquina de fazer pão, na Alemanha. O equipamento soltava grandes quantidades de fumaça quando entrava em funcionamento, causando riscos de contaminação. A situação levantou suspeitas e os usuários a levaram ao conhecimento das autoridades.

Após investigação, o órgão responsável pela vigilância de saúde e segurança de Düsseldort descobriu que o defeito não estava no aparelho, e sim no manual de instruções. Devido a um erro de tradução, a palavra “vapor” (no alemão dampf) havia sido trocada por “fumaça” (rauch). O caso terminou em recall das unidades vendidas, e em processo e indenização aos afetados.

Por possibilidades como essa, é errado pensar que a tradução técnica é “mais fácil” do que a literária, por exemplo. Ambas requerem muita pesquisa, atenção e dedicação para produzirem textos de chegada bons e eficientes.

Domínio do assunto: especialistas fazem a diferença

Quem quer traduzir determinada área deve contar com o apoio de profissionais com domínio nos assuntos abordados, que poderão eventualmente esclarecer dúvidas sobre qual é a forma mais adequada de expressar aquelas ideias contidas no texto.

Sendo assim, é positivo criar um canal de comunicação com esses especialistas. Essa atitude, com certeza, resultará em traduções mais confiáveis e de maior qualidade. Com o tempo, é natural que o tradutor desenvolva maior familiaridade com o tema que trabalhará, agilizando ainda mais o processo.

Desta forma, o tradutor virará especialista naquela linguagem, o que facilitará seus trabalhos futuros e até ajudará a conquistar novos clientes.

Uso de termos corretos: glossários são fundamentais

Organizar glossários com as palavras já traduzidas é de grande ajuda. Reunindo os termos mais frequentes e seus significados em um arquivo, que deve ficar acessível, o tradutor não precisará consultar dicionários e outras referências sempre que esses vocábulos aparecerem. Este processo, além de agilizar o trabalho, ajuda a fixar o significado do termo.

Mas como construir um bom glossário? Em primeiro lugar, é necessário reunir a maior quantidade possível de palavras e expressões dentro de cada área. Então, deve-se criar uma planilha, dividida em, pelo menos, três colunas: palavra/expressão, significado e fonte.

É bom lembrar que um único vocábulo pode ser traduzido de formas diferentes, dependendo do assunto tratado, por isso, fazer um glossário por área é recomendável. E a fonte de pesquisa não deve ser ignorada: ela pode ser útil para quando o tradutor precisar consultá-la novamente.

Muitas empresas já possuem o próprio índice de palavras, e no caso de áreas mais exploradas, como tradução jurídica ou tradução na área de saúde, é possível encontrar bons glossários na internet.

Produtividade e cumprimento de prazo: CAT tools ajudam 

CAT tools é uma expressão para designar ferramentas de tradução assistida pelo computador. São programas que oferecem um processador de texto juntamente com uma memória de tradução, ou seja, um glossário previamente preparado para aquele trabalho. Quando o trabalho é inciado, a própria CAT tool reconhece os termos inseridos no texto, de acordo com a memória.

Outra funcionalidade comum às CAT tools é o autocomplete de termos já traduzidos. Desta forma, o profissional sequer precisará digitar novamente. Usar um programa desses garante maior precisão e agilidade no processo tradutório.

Existem várias opções de CAT tools no mercado, entre gratuitas e pagas, online ou softwares. O tradutor deve escolher a que melhor servir suas necessidades. As próprias agências de tradução, muitas vezes, indicam as ferramentas mais recomendadas.

Diferenças culturais: devem ser levadas em conta

Transpor um texto de um idioma para outro significa transportar também suas atribuições culturais. Neste sentido, os conhecimentos gerais de mundo do profissional são muito requeridos, juntamente com as informações terminológicas e gramaticais.

Ao traduzir um documento que cita o CPF brasileiro, o profissional deve entender que esta informação pode não ser compreendida em outra cultura. Em um texto de origem norte-americana que menciona a prática de home-schooling, é importante lembrar que esta prática não é corriqueira no Brasil. Essas são apenas duas das inúmeras possibilidades de ocorrência de termos e ideias próprias de uma cultura, que precisam ser absorvidas por quem for trabalhar com o documento.

É preciso negociar com o cliente se o tradutor vai adaptar tais informações, explicá-las no próprio texto ou em uma nota de rodapé. O tradutor técnico deve estar atento a isso para fazer as melhores escolhas.

Informações fiáveis: pesquisar para se certificar

Munido de CAT tools, glossário e o telefone de um especialista, o tradutor já está pronto para botar a mão na massa? Ainda não. Esses itens são indispensáveis, mas há também um hábito que os bons profissionais não devem nunca prescindir: uma boa pesquisa.

Ter tantos aparatos pode produzir uma sensação de segurança no tradutor E, por incrível que pareça, ele ficará, assim, mais suscetível ao erro. Por isso, estudar e revisar constantemente são hábitos muito saudáveis. Duvidar das próprias certezas e checar informações que podem gerar questionamento evita muitos erros de tradução.

Desafiadora para qualquer profissional, uma boa tradução técnica demanda trabalho e estudo, mas é fundamental para o mundo globalizado em que vivemos. Quer saber mais sobre o universo da tradução? Curta a nossa página no Facebook e fique atualizado!